« theme by restitui + inspiration not copy »
Restitui
É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer, implorar. Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe.


23 de junho, onze dias se passaram e as teclas quebradas do velho piano continuam intactas. Bella já não consegue mais tocar.
12 de junho, 9:30 am. Singela manhã, desperta a Bella, ovos e bacon já estava virando rotina. Ela havia acordado com um ar diferente, num tom diferente numa melodia diferente. Meio torto um sorriso se abriu; a mensagem de confirmação havia chegado. “20:30, no mesmo local de sempre. Não esquece: Te amo”. Era ele. Era aquele. Este não seria um dia dos namorados como os outros para Bella, esse era diferente, pois estava com quem queria estar, talvez não no momento certo, mas mesmo que não seja, ela prefere estar errada.
Bella estava frangida, inibida e inigualável aos outros dias. Sabia que aquele dia ficaria marcado para sempre, então tratou logo de escolher seu vestidinho preto assanhado de bolinhas vermelhas desmanchadas, e seu sapatinho que deixa seu pé semelhante ao de uma boneca. A dedo escolheu tom de batom e sombra, agarrou alguns perfumes e experimentou penteados que exaltassem tua beleza.
Meiga tão ela que só, fez um grosso rapaz apaixonar-se. Um intenso moço que o desdobrando fez seu sabor amargo de limão virar doce como mel. Ah e que mel! Pairando sobre ele, muitas e muitas meretrizes metidas a donzelas o assanha sem cessar. Embora Bella não há de hesitar, até considera cômico, sabe que beleza que nem a de Luc, garota nenhuma jamais encontrará.
As horas se foram, e o crepúsculo já se passou e o momento chegava. 7 Meses de união e afeição haviam se passado, e o tão aguardado momento estava chegando. Bella entusiasmada que só logo foi se aperfeiçoando, passou seu perfume mais doce para combinar com seus lábios cor de maçã, tão carnudos que poderia estar de expressão antiquada que seus lábios ainda eram admiráveis. 20:00 o celular despertou, correndo que só foi atender, era um número desconhecido. Com voz esbofada ela disse “Alô” e desesperadamente alguém lhe respondeu: “Sinto muito, Luc não poderá te encontrar esta noite” — disse uma voz de mulher, já velha. Então Bella retrucou: “Não entendo. O que se passas?”, voz meia cambaleada a senhora me respondeu: “Vá até o hospital que fica duas quadras após a casa de Luc, pela esquerda que você entenderá”. Bella saiu apressada e partiu, já com lágrimas em seu rosto ao chegar no hospital dito pela senhora procurou por Lucas Valdez, a recepcionista lhe indicou o local onde ele já aguardava. Bella não acreditou no que estava vendo, seus olhos mostravam uma realidade mas sua mente queria mentir. Luc estava esvairado, adoecido e com olheiras fundas e roxas. Sua pele estava em várias partes queimada, e em alguns lugares já não se tinha pele. Seu rosto… havia se deformado e a senhora ao lado dele apenas disse: “Incêndio acidental em sua casa, todos estão bem… menos Lucas” Ela até pensou em abraca-lo mas suas feridas estavam expostas, não tinha como. Ao ve-la Luc abriu um sorriso e questionou-a: “Ainda me amas? Estraguei sua noite, a nossa noite, a nossa noite que era pra ter sido perfeita… olha onde estou, como estou. Já viu meu rosto?” No mesmo instante enxuguei minhas lágrimas, suspirei e desabei. “Um dia disse pra você que em qualquer circunstância eu jamais deixaria de te amar. Vou com isso até o fim. Talvez eu até passe a te amar mais por isso, o que acho impossível amar alguém mais do que amo você. Você se tornou meu ar, meu chão, meu tudo. Você é tudo, tudo o que preciso e tudo o que qualquer garota queria. E não era por causa de um rostinho bonito que eu havia me apaixonado por você, foi por quem você era e é! Você é o mais sincero, o mais meigo e carinhoso. Me trata bem, me mima manhosamente. Suas mãos trêmulas quando encostam na minha me causam calafrios intensos. Seus olhos quando encontrava a direção dos meus, tem um brilho espetacular e é o que me faz ficar mais admirada na tua face. O modo como você me conquistou, tudo… não vou jogar fora. Você continua o mesmo pra mim, e este dia pode não ter dado muito certo, você não tem culpa nem eu temos, mas se era pra ser assim eu me conformo. Me conformo porquê pro amor não tem barreira, não tem dificuldade que destrua tudo o que se construiu, e com você não é diferente. Eu te amo, e tô pra sempre contigo
Com um mar de lágrimas pairando no rosto de Luc, ele apenas pediu o pacote pra senhora ao lado dele — sua avó — e ao abrir ele tirou uma caixinha, e a abriu; dentro dela encontrava-se duas alianças, e com voz escorrida Luc finalmente disse: “Quer se minha, pra sempre?” Bella já se derramando em lágrimas o respondeu: “Até depois do sempre” E ficaram ali, parados um olhando pro outro sem se movimentar, Bella segurou sua mão e bem baixinho sussurrou: “E se o pra sempre não existir, a gente inventa”.

❝ Pode falar que eu não ligo, agora, amigo, Eu tô em outra. Eu tô ficando velha, eu tô ficando louca. Pode avisar qu’eu não vou, eu tô na estrada. Eu nunca sei da hora, eu nunca sei de nada. Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho que hoje eu passei batom vermelho, eu tenho tido a alegria como dom em cada canto eu vejo o lado bom. Pode falar qu’eu nem ligo, agora eu sigo o meu nariz. Respiro fundo e canto mesmo que um tanto rouca. Pode falar, não importa, o que tenho de torta, eu tenho de feliz. Eu vou cambaleando, de perna bamba e solta.